Digital Literacy and Sustainability: The Vozes que Ecoam Project

Chapter
Part of the Schooling for Sustainable Development book series (SSDE, volume 2)

Abstract

If it is true that education and development make an irreducible binomial and that development must be sustainable, then we need an education for sustainability. Since we are discussing education and sustainability with the economy as the background, we must remember that there are the rich and the poor and this economy does not operate on both in the same way. Therefore, the educational model we have chosen has embedded sustainability.

Keywords

Critical Pedagogy Digital Literacy Pedagogical Discourse Brundtland Report Sustainability Discourse 
These keywords were added by machine and not by the authors. This process is experimental and the keywords may be updated as the learning algorithm improves.

References

  1. Altvater, E. 1995. O Preço da Riqueza: Pilhagem Ambiental e a Nova (des)Ordem Mundial. São Paulo: UNESP.Google Scholar
  2. Armitage, J. 1999. Resisting the neoliberal discourse of technology. In The politics of cyberculture in the age of the virtual class, eds. A. Kroker and M. Kroker, Available in httpw://www.ctheory.net/articles.asp?id=111 (accessed February 17, 2010).
  3. Benfica, G. (undated). Sustentabilidade e Educação. Revista da Faculdade Estadual de Educação da Bahia. Salvador: UNEB. 10(16): 13–25.Google Scholar
  4. Bruseke, F J. 1996. Desestruturação e desenvolvimento. In Incertezas de Sustentabilidade na Globalização, ed. E Viola and L C Ferreira. Campinas: Unicamp.Google Scholar
  5. Buarque, C. 1990. A Desordem do Progresso: O Fim da Era dos Economistas e a Construção do Futuro. Rio de Janeiro: Paes e Terra.Google Scholar
  6. Demo, 2008. Habilidades do Século XXI. Boletim Técnico Senac: a Revista Educação Profissional. Rio de Janeiro, 34 no.2, (May/August): 4–15.Google Scholar
  7. Gadotti, M. 2000. Pedagogia da terra e cultura de sustentabilidad. Revista Lusófona de Educação 2005(6): 15–29.Google Scholar
  8. Hall, S. 2005. A identidade Cultural na Pós-Modernidade, 10th ed. Rio de Janeiro: DP&A Editora.Google Scholar
  9. Herculano, S C. 1992. Do desenvolvimento (in) suportável à sociedade feliz. In Ecologia, Ciência e Política, ed. M Goldenberg. Rio de Janeiro: Revan.Google Scholar
  10. Jiménez, J. L. F. (2008). Tecnocultura y desempleo: las tecnologías del entretenimiento base pedagógica de la globalización Boletim. Técnico Senac: a Revista Educação Profissional. Rio de Janeiro, 34 no.2 (May/August): 16–25.Google Scholar
  11. Kleiman, A B, and J A Vieira. 2006. O impacto identitário das novas tecnologias da informação e comunicação (Internet). In Práticas Identitárias: Língua e Discurso, ed. I Magalhães, M Grigoletto, and M J Coracini. São Carlos: Claraluz.Google Scholar
  12. Lampert, E. 2007. Pós-Modernidade e educação. Linhas 8(2): 4–32.Google Scholar
  13. Lima, GF. da C. 1997. O debate da sustentabilidade na sociedade insustentável. Política e Trabalho no.13 (September): 201–222.Google Scholar
  14. Machado, J. 2006. Os computadores na facilitação da aprendizagem: estudo tomando o conceito de função, Dissertação de Doutoramento. Braga: Universidade do Minho.Google Scholar
  15. Marcuse, H. 1967. Ideologia da Sociedade Industrial. Rio de Janeiro: Zahar Editores.Google Scholar
  16. Mathews, G. 2002. Cultura Global e Identidade Individual. Bauru: EDUSC.Google Scholar
  17. Meadows, D H, D L Meadows, J Randers, and W W Behrens III. 1972. The limits to growth: A report for the club of Rome’s project on the predicament of mankind. New York: Universe Books.Google Scholar
  18. Meszários, I. 2002. Para Além do Capital. São Paulo: Boitempo Editorial.Google Scholar
  19. Pennycook, A. 1998. A Linguística Aplicada nos anos 90: em defesa de uma abordagem crítica. In Linguística Aplicada e Transdisciplinaridade: Questões e Perspectivas, ed. S Inês and C C Marilda. Campinas: Mercado das Letras.Google Scholar
  20. Programa Das Nações Unidas Para O Desenvolvimento. 2009. http://www.pnud.org.br/home/ (accessed February 17, 2010).
  21. Sachs, I. 1986. Caminhos Para o Desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro: Garamound.Google Scholar
  22. Stahel, A W. 1995. Capitalismo e entropia: os aspectos ideológicos de uma contradição e uma busca de alternativas sustentáveis. In Desenvolvimento e Natureza: Estudos Para uma Sociedade Sustentável, ed. C Cavalcanti. São Paulo: Cortez.Google Scholar

Copyright information

© Springer Netherlands 2011

Authors and Affiliations

  1. 1.University of Sorocaba (UNISO/SP)SorocabaBrazil

Personalised recommendations