The Quality Challenge in Rural Tourism’s Services: The Case of Madeira’s Country Homes

Conference paper
Part of the Springer Proceedings in Business and Economics book series (SPBE)

Abstract

This article discusses rural tourism, particularly the Country Homes in Madeira Island, focusing on the link between the management of these tourism enterprises and the quality of services provided. Through the identification of the owners’, of the Country Homes, profile it was our intention to demonstrate the relevance of the implementation of a Best Practice Guide for a better management of these enterprises, due to the poor training/experience of their owners/guardians.

In the pursuit of our goals we used the combination of qualitative and quantitative methods in the absence of studies of this nature on the island of Madeira, such as the launch of questionnaire surveys, semi-structured interviews, field work and bibliographical and documentary research.

This research allowed us to conclude that the implementation of a Best Practice Guide, which main function is to adjust the tourist practice, with the ultimate objective of promoting the quality of services provided by these tourist enterprises, will be positive and will contribute to the tourism development of the Country Homes in Madeira.

Keywords

Rural tourism Best practice guide Quality of services 

JEL Classification

Z other special topics 

References

  1. AAVV. (1993). Seminário sobre a Exclusão Social e Turismo Rural. Coimbra: CCRC, DRCC.Google Scholar
  2. AAVV. (2000). I Jornadas sobre Turismo, Património e Ambiente: o Concelho de Silves em Debate: Comunicações. Silves: Câmara Municipal de Silves.Google Scholar
  3. AAVV. (2001). Turismo em Espaço Rural. Porto: Vida Económica.Google Scholar
  4. Alvares, D., & Lourenço, J. (2007). Modelo de Ciclo de Vida do Turismo: Uma Ferramenta para a Gestão do Turismo Rural Aplicada à Ilha da Madeira. Anais do 6° Congresso Brasileiro de Turismo Rural, Cultura no Turismo Rural. São Paulo. Retrieved from http://repositorium.sdum.uminho.pt
  5. Batista, A. (2008). O turismo e a cultura enquanto estratégias de regeneração de centros históricos. O caso de Alcácer do Sal [Copied text]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  6. Batouxas, M. (1998). O turismo como componente das novas abordagens e propostas de desenvolvimento rural: análise exploratória de alguns instrumentos recentes de política regional na Terra Quente Transmontana [Copied text]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  7. Caldito, L. (2008). Turismo Rural Sostenible y Marketing Turístico: Incidencia sobre el desarrollo sustentable de una zona. In Actas do Encontro Transfronteiriço Turismo Rural-Cultural e Desenvolvimento Sustentável, Reguengos de Monsaraz, Município.Google Scholar
  8. Casqueira, F. (1992). A possibilidade de turismo em espaço rural no Concelho de Odemira: para uma reabilitação do património cultural local [Copied text]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  9. Cavaco, C. (1999). Comércio Retalhista em Espaço Rural: Principais Tendências. Finisterra, XXXIV(67–68), 121–129.Google Scholar
  10. Cavaco, C. (2004). Desafios de Desenvolvimento Rural. Finisterra, XXXIX(78), 99–112.Google Scholar
  11. Cavaco, C., & Moreno, L. (2006). Não tem sentido separar o mundo rural do urbano. Em Jornal de Animação da Rede Portuguesa Leader+ Pessoas e Lugares, II Série, 41, 4–6.Google Scholar
  12. Comissão Europeia. (2000). Para um turismo rural de qualidade—Gestão integrada da qualidade (GIQ) dos destinos turísticos rurais. Retrieved from http://bookshop.europa.eu
  13. Cravidão, F., & Fernandes, J. (2004). “Urbano e Rural: a convergência de dois conceitos ou outros modos de “olhar” o território?” Revista Portuguesa de História, t. XXXVI, 2, 417–429.Google Scholar
  14. Cravidão, F., & Marujo, M. N. (2012). Turismo e Lugares: uma visão geográfica. Revista Pasos, Revista de Turismo e Património Cultural, 10(3), 281–288. Retrieved from http://www.pasosonline.org.Google Scholar
  15. Cunha, L. F. (1986). Turismo de Habitação, Turismo Rural, Agroturismo: Acção de Sensibilização: Cursos Empresários Agrícolas, a Mulher e a Agricultura. Porto: Dir. Regional de Agricultura de Entre Douro e Minho.Google Scholar
  16. Cunha, L. F. (1988). Turismo em Espaço Rural: Algumas Considerações. Porto: Div. de Documentação e Informação da Dir. Regional de Agricultura de Entre Douro e Minho.Google Scholar
  17. Fernandes, E., & Guerra, G. (2008). Gestão pela Qualidade Total em Empresas Turísticas. Revista Encontros Científicos—Tourism & Management Studies, 4, 40–49. (Faro, Universidade do Algarve).Google Scholar
  18. Ferreira, A. (2004). Turismo no espaço rural: formas de alojamento e impactos na sub-região Minho-Lima [Recurso eletrónico]. Lisboa, [s.n.]: Acessível na Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  19. Figueira, A. (1998). A Oferta do Alojamento de Turismo em Espaço Rural no Baixo Alentejo: Estudo Exploratório. Beja: Gráfica—Ind. de Comunicação.Google Scholar
  20. Hummelbrunner, R. (1993). Promoção Turística e Potencialidades das Regiões Periféricas: O Caso Austríaco. In Seminário sobre a Exclusão Social e Turismo Rural, Coimbra, CCRC, DRCC.Google Scholar
  21. IPQ. (2010). NP 4494: 2010—Norma Portuguesa, Turismo de Habitação e Turismo no Espaço Rural, Requisitos da Prestação do Serviço e Características. Lisboa: Instituto Português da Qualidade.Google Scholar
  22. Jesus, L., Kastenholz, E., & Figueiredo, E. (2008). A Oferta do Turismo no Espaço Rural, Estudo de Caso da Região Dão-Lafões. In VII Colóquio Ibérico de Estudos Rurais – Cultura, Inovação e Território, Coimbra.Google Scholar
  23. Leal, C. (2001). O Turismo Rural e a União Europeia (Uma Realidade em Expansão, Guia Prático de Investimento). Coimbra: Almedina.Google Scholar
  24. Lopes, R. (2005). Estudo de mercado e estratégias de segmentação para o turismo em espaço rural na Região do Parque Natural da Serra da Estrela [Copied text]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  25. Lourenço, F. (2005). Ruralidade, turismo e património: o turismo em espaço rural no norte do Alentejo: um estudo de caso [Copied text]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  26. Marques, A. P. (2005). Representações sociais do turismo em espaço rural: um estudo de caso do Paço de S. Cipriano (concelho de Guimarães) [Electronic resource]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  27. Marques, J. A. (2006). Introdução à Hotelaria. Porto: Livraria Civilização Editora.Google Scholar
  28. Marques, J. A. (2007). Manual de Hotelaria. Porto: Livraria Civilização Editora.Google Scholar
  29. Melo, V. (2003). Modelo de negócio para a promoção do turismo no espaço rural através da Internet [Copied text]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  30. Mesquita, A. M. (2009). Sistemas de distribuição no Turismo em Espaço Rural: a Região de Trás-os-Montes [Copied text]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  31. Pereira, L. (2002). Turismo no espaço rural: o contributo histórico-geográfico do Concelho de Lamego no desenvolvimento da região demarcada do Douro [Copied text]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  32. Pinto, A. (2004). Turismo em Espaço Rural, Motivações e Práticas, Holandeses em Ferreira de Aves – Satão. Braga: Palimage.Google Scholar
  33. Portela, J., & Caldas, J. (Org.). (2003). Portugal Chão. Oeiras: Celta.Google Scholar
  34. Relvas, S. (2006). O turismo no espaço rural como agente de desenvolvimento das áreas de baixa densidade populacional [Copied text]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  35. Ribeiro, M. (2003). Espaços Rurais como Espaços Turísticos. In Portugal Chão. Oeiras: Celta.Google Scholar
  36. Silva, L. (2009). Casas de Campo: etnografia do turismo rural em Portugal. Lisboa: ICS.Google Scholar
  37. Sousa, M. (2006). Alojamento turístico em espaço rural: sistema nacional de reservas com recurso aos sistemas de informação geográfica [Electronic resource]. Lisboa: Biblioteca Nacional de Portugal.Google Scholar
  38. Turismo de Portugal, I. P. (2014). Guia de Boas Práticas. Lisboa.Google Scholar
  39. UNEP. (2003). Um Guia Prático para Boas Práticas Gerenciando Questões Ambientais e Sociais no Setor da Hospedagem. Retrieved from http://www.toinitiative.org
  40. WTO. (1997). International tourism: A global perspective. Madrid: WTO.Google Scholar
  41. WTO. (2004). Rural tourism in Europe: Experiences, development and perspectives. Madrid: WTO.Google Scholar
  42. WTO. (2007a). Policies, strategies and tools for the sustainable development of tourism. Madrid: WTO.Google Scholar
  43. WTO. (2007b). Tourism development in Europe. Madrid: WTO.Google Scholar

Legislation

  1. Resolution of the Council of Ministers n° 173/2007, of November 7, Presidency of the Council of Ministers (Diário da República 1st Series – N° 214, November 7, 2007).Google Scholar
  2. Decree-Law n° 15/2014, of January 23, Ministry of Economy (Diário da República, 1st Series – N° 16, January 23, 2014).Google Scholar
  3. Decree-Law n° 49/2011, of April 8, Ministry of Economy and Innovation (Diário da República, 1st Series – N° 70, April 8, 2011).Google Scholar

Copyright information

© Springer International Publishing Switzerland 2016

Authors and Affiliations

  1. 1.Portalegre Polytechnics Institute — Praça da RepúblicaPortalegrePortugal

Personalised recommendations