Skip to main content

Adults in the Brazilian Prison System

Part of the Palgrave Studies in Prisons and Penology book series (PSIPP)

Abstract

Brazil has the world’s third-largest population of incarcerated adults, and this text seeks to provide an overview of prisons in that country. With this in mind, we trace out the history of changes to prison policies during the previous decades, highlighting the main social processes that have driven the rapid rise in incarceration rates in the country. During this process, the increase in incarceration has been accompanied by degradation in prisoners’ living conditions, difficulties in implementing effective policies, and the emergence of organized prisoner groups. These phenomena have resulted in recent years in a number of serious human rights violations inside Brazilian prisons that continue to pose a challenge to democracy in the country.

Keywords

  • Prison
  • Punishment
  • Brazil
  • History
  • Human rights
  • Violence

This is a preview of subscription content, access via your institution.

Buying options

Chapter
USD   29.95
Price excludes VAT (USA)
  • DOI: 10.1007/978-3-030-82265-1_7
  • Chapter length: 29 pages
  • Instant PDF download
  • Readable on all devices
  • Own it forever
  • Exclusive offer for individuals only
  • Tax calculation will be finalised during checkout
eBook
USD   109.00
Price excludes VAT (USA)
  • ISBN: 978-3-030-82265-1
  • Instant PDF download
  • Readable on all devices
  • Own it forever
  • Exclusive offer for individuals only
  • Tax calculation will be finalised during checkout
Softcover Book
USD   99.99
Price excludes VAT (USA)
Hardcover Book
USD   139.99
Price excludes VAT (USA)

Notes

  1. 1.

    STF ruling from 2015, in reviewing claim of non-compliance with fundamental precepts (ADPF) case number 347.

  2. 2.

    Authors’ translation.

  3. 3.

    Statement by Deputy Alfredo Farah at the São Paulo Legislative Assembly, April 17, 1947 (AALSP, 1947).

  4. 4.

    In 2020, there were 5 facilities in operation: Catanduvas (PR), Porto Velho (RO), Mossoró (RN), Campo Grande (MS) and Brasília (DF). Each one has the capacity to hold 208 prisoners.

  5. 5.

    Information was obtained through news portals; we highlight here sources from the Último Segundo website, available at https://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2019-07-30/relembre-os-maiores-massacres-em-presidios-brasileiro.html. we also consulted the G1 news portal, available at https://oglobo.globo.com/brasil/os-maiores-massacres-em-presidios-do-brasil-20720978, and the Uol site, available at https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/04/veja-algumas-das-maiores-rebelioes-ocorridas-em-presidios-do-brasil.shtml. All accessed on May 5, 2021.

References

  • Adorno, S. (1995). Discriminação racial e justiça criminal em São Paulo. Novos Estudos, 43, 45–63.

    Google Scholar 

  • Alexander, M. (2017). A Nova Segregação: racismo e encarceramento em massa. Boitempo.

    Google Scholar 

  • Almeida, S. (2019). Racismo estrutural: feminismos plurais. Editora Pólen.

    Google Scholar 

  • Alvarez, M. C. (1989). A emergência do Código de Menores de 1927: uma análise do discurso jurídico e institucional da assistência e proteção aos menores. Dissertação de Mestrado. FFLCH-USP.

    Google Scholar 

  • Alvarez, M. C. (2002). A Criminologia no Brasil ou Como Tratar Desigualmente os Desiguais. Dados Revista De Ciências Sociais, 45(4), 677–704.

    Google Scholar 

  • Alvarez, M. C. (2003). Bacharéis, Criminologistas e Juristas: saber jurídico e Nova Escola Penal no Brasil. Ibccrim.

    Google Scholar 

  • Alvarez, M. C., Salla, F., & Dias, C. N. (2013). Das Comissões de Solidariedade ao Primeiro Comando da Capital em São Paulo. Tempo Social, 25(1), 61–82.

    CrossRef  Google Scholar 

  • Angotti, B. (2012). Entre as Leis da Ciência, do Estado e de Deus. IBCCRIM, Col. Monografias.

    Google Scholar 

  • Borges, J. (2018). Encarceramento em massa. Polén.

    Google Scholar 

  • Borges, V. T. (2016). Carandiru: Os usos da memória de um massacre. Revista Tempo e Argumento, 8(19), 04–33.

    CrossRef  Google Scholar 

  • Britto, L. (1924). Os systemas penitenciarios do Brasil. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 3 vols, 1924 e 1926. [Vols 1 e 2, 1924 e vol. 3 1926)].

    Google Scholar 

  • Caldeira, T. P. do R. (2000). Cidade de Muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. Edusp/Ed. 34.

    Google Scholar 

  • Campos, M. S., Salla, F., & Alvarez, M. C. (2015). Redução da Maioridade Penal e Congresso Nacional: Crimes Violentos, Mídia e Populismo Penal. Revista Brasileira Adolescência e Conflitualidade, 13, 358–378.

    Google Scholar 

  • Campos, M. S., & Alvarez, M. C. (2017). Pela metade: Implicações do dispositivo médico-criminal da “Nova Lei de Drogas” na cidade de São Paulo. Tempo Social, 29, 45–73.

    CrossRef  Google Scholar 

  • Carvalho, José Murilo de. (1987). Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. Cia das Letras.

    Google Scholar 

  • Carvalho, S. (2015). O encarceramento seletivo da juventude negra brasileira: a decisiva contribuição do poder judiciário. Revista da Faculdade de Direito da UFMG (67, jul./dez), 623–652.

    Google Scholar 

  • Coelho, E. C. (2005). A Oficina do Diabo. Record.

    Google Scholar 

  • Christie, N. (1998). A indústria do controle do crime: A caminho dos Gulags em estilo ocidental. Companhia Editora Forense.

    Google Scholar 

  • Davis, A. (2018). Estarão as prisões obsoletas? Difel.

    Google Scholar 

  • DEPEN. (2021). Departmento Penitenciário Nacional. Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias. https://www.gov.br/depen/pt-br/sisdepen/sisdepen. (acessado em 31/Mai/2021).

  • Duarte, P. (1952). Penitenciária de São Paulo, uma burla trágica. Anhembi, 6(17), 274–303.

    Google Scholar 

  • Fausto, B. (1984). Crime e cotidiano: a criminalidade em São Paulo (1880–1924). Brasiliense.

    Google Scholar 

  • Fischer, R. M., Abreu, F., & Adorno, S. (1987). Análise do Sistema Penitenciário do Estado de São Paulo: o gerenciamento da marginalidade social. São Paulo, Relatório de Pesquisa CEDEC.

    Google Scholar 

  • Flauzina, A. L. P. (2008). Corpo negro caído no chão: O sistema penal e o projeto genocida do Estado brasileiro. Contraponto.

    Google Scholar 

  • Foucault, M. (1975). Surveiller e punir. Gallimard.

    Google Scholar 

  • Garland, D. (2001). The culture of control: Crime and social order in contemporary society. The University of Chicago Press.

    CrossRef  Google Scholar 

  • Guimarães, T. R. O. (2020). Os systemas penitenciarios do Brasil ou um máo systema de prisões: análise do relatório em 03 volumes de J. G. de Lemos Britto. Dissertação de Mestrado, UFBA.

    Google Scholar 

  • Higa, G. L., & Alvarez, M. C. (2019). Humanização das prisões e pânicos morais: Notas sobre as “Serpentes Negras.” Estudos Avançados, 33(96), 69–90.

    CrossRef  Google Scholar 

  • Jesus Filho, J., & Oi, A. (orgs.). (2014). Prisões privatizadas no Brasil em debate: Relatório da Pastoral Carcerária Nacional. ASAAC.

    Google Scholar 

  • Koerner, A. (2006). Punição, Disciplina e Pensamento Penal no Brasil do século XIX. Lua Nova, São Paulo, No, 68, 205–242.

    CrossRef  Google Scholar 

  • de Lima, R. S. (2004). Atributos raciais do funcionamento do sistema de justiça criminal paulista. São Paulo Em Perspectiva, 18(1), 60–65.

    CrossRef  Google Scholar 

  • Lima, R. K., & Lima, M. A. de. (1991). Capoeira e cidadania: negritude e identidade no Brasil republicano. Revista de Antropologia (pp. 143–182, n. 34). São Paulo, USP.

    Google Scholar 

  • Lourenço, L. C., & Almeida, O. L. de. (2013). Quem mantém a ordem, quem cria desordem: gangues prisionais na Bahia. Tempo social, 25(1), 37–59. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ts/v25n1/03.pdf. Acesso em: 02 abr. 2020.

  • Lourenço, L. C., & Alvarez, M. C. (2017). Estudos sobre prisão: Um balanço do estado da arte nas ciências sociais nos últimos vinte anos no Brasil (1997–2017) BIB. São Paulo, n. 84, 216–236.

    Google Scholar 

  • Lourenço, L. C. (2017). O jogo dos sete erros nas prisões do Brasil: discutindo os pilares de um sistema que não existe. In: O público e privado (30, jul/dez).

    Google Scholar 

  • Lourenço, L. C. (2018). Prisões fora da lei: notas de um dispositivo punitivo marginal. In V. Marques, K. Sposato & L. C. lourenço (Org.). Direitos humanos na democracia contemporânea velhos e novos embates—Volume III (vol. 3, pp. 84–96). Editora Bonecker.

    Google Scholar 

  • Lourenço, L. C. (2020). A rede dos peixes pequenos: um estudo de caso sobre a atuação dispositivo prisional. Paper apresentado no GT47 Violência, punição e controle social: perspectivas de pesquisa e de análise no 44º Encontro anual da ANPOCS.

    Google Scholar 

  • Machado, M. L. & Marques, J. B. A. (1993). História de um Massacre: Casa de Detenção de São Paulo. São Paulo, Cortez-OAB.

    Google Scholar 

  • Maia, C. N., Bretas, M. L., & Sá Neto, M. C. e F. (2009). História das Prisões no Brasil. Volumes I e II. Rio de Janeiro: Rocco.

    Google Scholar 

  • Mattos, C. S. (2016). Uma etnografia da expansão do mundo do crime no rio de janeiro. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 31(91), e319110. Epub July 04, 2016. https://doi.org/10.17666/319110/2016

  • Minhoto, L. D. (2000). Privatização de Presídios e Criminalidade—a gestão da violência no capitalismo global. Max Limonad.

    Google Scholar 

  • Paiva, L. F. S. (2019). “Aqui não tem gangue, tem facção”: as transformações sociais do crime em Fortaleza, Brasil. Caderno CRH, 32(85), 165–184. Epub June 03, 2019. https://doi.org/10.9771/ccrh.v32i85.26375

  • Pietá, E., & Pereira, J. (1993). Pavilhão 9, o massacre do Carandiru. Editora Página Aberta.

    Google Scholar 

  • Pires, A. L. C. S. (1996). A capoeira no jogo das cores: Criminalidade, cultura e racismo na cidade do Rio de Janeiro (1890–1937). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas.

    Google Scholar 

  • Ribeiro, D. (2019). Pequeno Manual Antirracista. Cia. das Letras.

    Google Scholar 

  • Salla, F. (1999). As Prisões em São Paulo (1822–1940). Annablume-Fapesp.

    Google Scholar 

  • Salla, F. (2006a). A Pesquisa sobre as prisões: um balanço preliminar. In A. Koerner (Ed.) História da Justiça Penal no Brasil (pp.107–127). Ibccrim.

    Google Scholar 

  • Salla, F. (2006b). As Rebeliões nas Prisões: Novos significados a partir da experiência brasileira. Sociologias, 16, 274–304.

    Google Scholar 

  • Salla, F. (2007). De Montoro a Lembo: As políticas penitenciárias de São Paulo. Revista Brasileira De Segurança Pública, 1(1), 72–90.

    Google Scholar 

  • Salla, F. (2015). Rebelião na Ilha Anchieta em 1952 e a primeira grande crise na segurança pública paulista. DILEMAS: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, 8(4), out/nov/dez 2015, 633–658.

    Google Scholar 

  • Souza, L. A. F. de. (2009). Lei, cotidiano e cidade. Polícia Civil e práticas policiais na São Paulo republicana (1889–1930). Ibccrim.

    Google Scholar 

  • de Souza, L. A. F. (2016). As contradições do confinamento no Brasil. Uma breve revisão da bibliografia sobre encarceramento de mulheres. Sociedade Em Debate, 22, 104–156.

    Google Scholar 

  • Teixeira, A. (2009) Prisões da Exceção: Política penal e Penitenciária no Brasil Contemporâneo. Juruá.

    Google Scholar 

  • Teixeira, A. (2016). O Crime pelo Avesso: Gestão dos ilegalismos na cidade de São Paulo. Alameda Editorial.

    Google Scholar 

  • Torres, M. (1938). Penitenciária modelo? Revista de Direito Penal, 20(2), 181–187.

    Google Scholar 

  • da Telles, V. S., Godoi, R., Brito, J. M., & Mallart, F. (2020). Combatendo o encarceramento em massa, lutando pela vida. Caderno C R H, Salvador, 33, 1–16. https://doi.org/10.9771/ccrh.v33i0.32931

  • Vargas, J. D. (1999). Indivíduos sob suspeita: a cor dos acusados de estupro no fluxo do sistema de justiça criminal. Dados [online], 42(4).

    Google Scholar 

  • Wacquant, L. (1998). L’ascension de l’état pénal en Amérique. Actes De La Recherche En Sciences Sociales, 124, 7–26.

    CrossRef  Google Scholar 

  • Wacquant, L. (1999). Suitable enemies. Punishment & Society, 1(2), 215–222.

    CrossRef  Google Scholar 

Websites

Download references

Author information

Authors and Affiliations

Authors

Editor information

Editors and Affiliations

Rights and permissions

Reprints and Permissions

Copyright information

© 2021 The Author(s), under exclusive license to Springer Nature Switzerland AG

About this chapter

Verify currency and authenticity via CrossMark

Cite this chapter

Salla, F., Lourenço, L.C., Alvarez, M.C. (2021). Adults in the Brazilian Prison System. In: Gomes, S., de Carvalho, M.J.L., Duarte, V. (eds) Incarceration and Generation, Volume I. Palgrave Studies in Prisons and Penology. Palgrave Macmillan, Cham. https://doi.org/10.1007/978-3-030-82265-1_7

Download citation

  • DOI: https://doi.org/10.1007/978-3-030-82265-1_7

  • Published:

  • Publisher Name: Palgrave Macmillan, Cham

  • Print ISBN: 978-3-030-82264-4

  • Online ISBN: 978-3-030-82265-1

  • eBook Packages: Law and CriminologyLaw and Criminology (R0)