Advertisement

Psychology Research in the Poverty Context: What for and for Whom?

  • Verônica Morais Ximenes
  • Elívia Camurça Cidade
  • Gisely Roberta Gomes Silva
Chapter

Abstract

The objective of this chapter is to analyze the implications of a research in urban and rural communities in situations of poverty based on Community Psychology. The authors present the results of a research conducted in two communities in the state of Ceará, Brazil. They point out that it is necessary to change the neutral and distant scientific way of doing scientific research. Thus, these changes are structured in three areas that are developed from the Community Psychology in the return of research results: academic, social, and political. From an academic perspective, one should choose to investigate themes related to the needs of the population in poverty and disseminate them in different spaces. In the social domain, it is necessary to be close to the participants of the research in a respectful and emancipating way. In the political field, it is necessary to identify how the results of the research can be used by the participants themselves to improve their living conditions.

Keywords

Research Poverty Community Liberation 

References

  1. César, J. B. M. (2011). A audiência pública como instrumento de efetivação dos direitos sociais. Revista do Mestrado em Direito. Brasília, 5(2), 356–384.CrossRefGoogle Scholar
  2. Góis, C. W. L. (2005). Psicologia Comunitária: Atividade e consciência. Fortaleza, Brazil: Publicações Instituto Paulo Freire de Estudos Psicossociais.Google Scholar
  3. Góis, C. W. L. (2008). Saúde Comunitária: Pensar e fazer. São Paulo, Brazil: Editora HUCITEC.Google Scholar
  4. Guareschi, P. A. (2009). Pressupostos psicossociais da exclusão: competitividade e culpabilização. In B. B. Sawaia (Ed.), As artimanhas da exclusão: Análise psicossocial e ética da desigualdade social (pp. 141–156). Petrópolis, Brazil: Vozes.Google Scholar
  5. Guzzo, R., Janiake, E., Silva Neto, W., & Marçal, C. (2013). O psicólogo e a questão social: Desafios e obstáculos para a prática profissional. In M. Bernardo, R. S. L. Guzzo, & V. Sousa (Orgs.), Psicologia Social: Perspectivas críticas de atuação e pesquisa (pp. 153–172). Campinas, Brazil: Editora Alínea.Google Scholar
  6. Leite, J. F.; Macêdo, J. P. S., Dimenstein, M., & Dantas, C. (2013). A formação em Psicologia para a atuação em contextos rurais. In J. F. Leite & M. Dimenstein (Orgs.), Psicologia e Contextos Rurais (pp. 27–55). Natal, South Africa: EDUFRN.Google Scholar
  7. Macedo, J. P. S., & Dimenstein, M. (2011). Expansão e Interiorização da Psicologia: Reorganização dos Saberes e Poderes na Atualidade. Psicologia Ciência e Profissão, 31(2), 296–313.CrossRefGoogle Scholar
  8. Martín-Baró, I. (1998). Psicología de la liberación. Madrid, Spain: Trotta.Google Scholar
  9. Martín-Baró, I. (2009). Para uma Psicologia da Libertação. In R. S. L. Guzzo & F. Lacerda Júnior (Eds.), Psicoeflogia Social para a América Latina: O resgate da Psicologia da Libertação (pp. 181–197). São Paulo, Brazil: Alínea.Google Scholar
  10. Martín-Baró, I. (2015). Del pensamiento alienado al pensamiento creativo (1971). Teoría y Crítica de la Psicología, 6, 457–486.Google Scholar
  11. Montero, M. (2004). Introducción a la Psicología Comunitaria. Buenos Aires, Argentina: Paidós.Google Scholar
  12. Montero, M. (2006). Hacer para transformar: El método en la psicología comunitaria. Buenos Aires, Argentina: Paidós.Google Scholar
  13. Moura Jr., J., Cidade, E., Ximenes, V. M., & Sarriera, J. (2014). Concepções de pobreza: Um convite à discussão psicossocial. Temas em psicologia, 22(2), 341–352. Retrieved from http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1413-389X2014000200007&script=sci_arttextCrossRefGoogle Scholar
  14. Oliveira, L., Guzzo, R., Tizzei, R., & Silva Neto, W. (2014). Vida e Obra de Ignácio Martín-Baró e o Paradigma da Libertação. Revista Latinoamericana de Psicología Social Ignacio Martín-Baró, 3(1), 205–230.Google Scholar
  15. Oliveira, I. F., & Amorim, K. M. O. (2012). Psicologia e política social: O trato à pobreza como “sujeito psicológico”. Psicologia Argumento, 30(70), 559–566.CrossRefGoogle Scholar
  16. Prieto, M. (2003). Humanismo, complexidade e totalidade. O giro epistemológico no pensamento social. In R. L. Garcia (Org.), Método, Métodos, Contramétodo (pp. 147–180). São Paulo, Brazil: Cortez.Google Scholar
  17. Romagnoli, R. C., & Paulon, S. M. (2014). Escritas implicadas, pesquisadores implicantes: Notas sobre os destinos da subjetividade nos desatinos da produção científica. In M. Dimenstein & J. F. Leite (Eds.), Psicologia em Pesquisa: Cenários de práticas e criações (pp. 23–42). Natal, South African: EDUFRN.Google Scholar
  18. Sen, A. (2000). Desenvolvimento como Liberdade. São Paulo, Brazil: Companhia das Letras.Google Scholar
  19. Siqueira, L. (2013). Alguns Equívocos no tratamento da pobreza: Uma análise crítica. In L. Siqueira (Ed.), Pobreza e serviço social: Diferentes concepções e compromissos políticos (pp. 184–214). São Paulo, Brazil: Cortez.Google Scholar
  20. Wolff, E. A. (2009). Uma psicologia para a América Latina. In R. S. L. Guzzo & F. L. Júnior (Eds.), Psicologia Social para a América Latina: O resgate da Psicologia da Libertação (pp. 101–120). São Paulo, Brazil: Alínea.Google Scholar
  21. Ximenes, V. M., Nepomuceno, B. B., & Moreira, A. E. M. M. (2008). Cooperação Universitária: Um caminho dialógico, libertador e crítico construído no núcleo de Psicologia Comunitária. In V. M. Ximenes, E. M. Amaral, & F. G. Rebouças Júnior (Orgs.), Psicologia comunitária e educação popular: vivências de extensão/cooperação universitária no Ceará (pp. 63–87). Fortaleza, Brazil: LC Gráfica e Editora.Google Scholar
  22. Ximenes, V. M. (2014). Impactos da pobreza no desenvolvimento da saúde comunitária: Avaliação psicossocial das comunidades do Bom Jardim. (Relatório do Projeto de Pesquisa). Fortaleza, Brazil: CAPES.Google Scholar

Copyright information

© Springer Nature Switzerland AG 2019

Authors and Affiliations

  • Verônica Morais Ximenes
    • 1
  • Elívia Camurça Cidade
    • 2
  • Gisely Roberta Gomes Silva
    • 3
  1. 1.Department of PsychologyFederal University of Ceará (UFC)FortalezaBrazil
  2. 2.Department of PsychologyFederal University of Ceará (UFC) and Ari de Sá CollegeFortalezaBrazil
  3. 3.Faculdade UNIRBParnaíbaBrazil

Personalised recommendations