Advertisement

Oral History in Mathematics Education: Possibilities for Effective Intervention in Teaching

  • Heloisa da Silva
Chapter
Part of the History of Mathematics Education book series (HME)

Abstract:

By presenting and advocating the potential of oral history as a pedagogical strategy in mathematics education and in teacher formation, this chapter describes the aspects and possibilities of this approach in the treatment and problematization of issues relating to educational cultures and mathematics education. This chapter also presents a panorama of history of mathematics education in Brazil as a line of research and its contributions for training mathematics teachers. Finally, there is a debate of a theoretical and methodological nature about the key issues and strategies to be considered in interventions which use oral history in teaching; some examples are given as reference.

Keywords:

Oral history  History of mathematics education  Teacher training  Pedagogical approach  Intervention in teaching 

References

  1. Balestri, R. D., & Cyrino, M. C. C. (2010). A história da matemática na formação inicial de professores de matemática. ALEXANDRIA Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 3(1), 103–120, maio de.Google Scholar
  2. Baraldi, I. M. (2003). Retraços da educação matemática na região de Bauru (SP): Uma história em construção. 241f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro.Google Scholar
  3. Benadiba, L., & Plotinsky, D. (2001). Historia oral: Construcción del archivo histórico escolar. Una herramienta para la enseñanza de lãs ciencias sociales. Buenos Aires, Argentina: Ediciones Novedades Educativas.Google Scholar
  4. Brito, A. J., & Miorim, M. A. (2016). A institucionalização da história da educação matemática. In A. V. M. Garnica (Ed.), Pesquisa em história da educação matemática no Brasil – sob o signo da pluralidade. São Paulo, Brazil: Editora Livraria da Física.Google Scholar
  5. Carraher, T. N., Carraher, D. W., & Schliemann, A. D. (1982). Na vida, dez; na escola, zero: os contextos culturais da aprendizagem da matemática. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, 42, 79–86, ago.Google Scholar
  6. Chervel, A. (1990). História das disciplinas escolares: Reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, Porto Alegre, 2, 177–229.Google Scholar
  7. da Silva, H. (2013). Integrando história oral e narrativas a abordagens pedagógicas problematizadoras na formação inicial de professores de matemática. Revista Educação PUC-Campinas, Campinas, 18(3), 269–285, set./dez.CrossRefGoogle Scholar
  8. da Silva, H. (2016). A história oral como abordagem em espaços formativos formais de professores de matemática. Histemat, 2, 168–184.Google Scholar
  9. de Souza, L. A. (2011). Trilhas na construção de versões históricas sobre um Grupo Escolar. 420f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro.Google Scholar
  10. de Ferreira, M. (2016). História do tempo presente, história oral e ensino de história. In C. S. Rodeghero, L. Grinberg, & M. Frotscher (Eds.), História oral e práticas educacionais (pp. 125–136). Porto Alegre, Brazil: Editora da UFRGS.Google Scholar
  11. Flugge, F. C. G. (2015). Potencialidades das narrativas para a formação inicial de professores que ensinam matemática. 255f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro.Google Scholar
  12. Garnica, A. V. M. (2013). Cartografias Contemporâneas: mapa e mapeamento como metáforas para a pesquisa sobre a formação de professores de matemática. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, 6(1), 35–60, abr. ISSN 1982–5153. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/37927. Acesso em: 06 set. 2018Google Scholar
  13. Garnica, A. V. M. (2016). Pesquisa em história da educação matemática no Brasil – Sob o signo da pluralidade. São Paulo, Brazil: Editora Livraria da Física.Google Scholar
  14. Gasparello, A. (2007). Encontros de saberes: as disciplinas escolares, o historiador da educação e o professor. In A. M. Monteiro, A. Gasparello, & M. Magalhães (Eds.), Ensino de história: sujeitos, saberes e práticas (pp. 73–89). Rio de Janeiro, Brazil: Mauad X/FAPERJ.Google Scholar
  15. Gomes, M. L. M. (2010). História da Educação Matemática: a propósito da edição temática do BOLEMA, 23(35A). Rio Claro, Brazil: Bolema.Google Scholar
  16. Gomes, M. L. M. (Aug, 2014). História da Educação Matemática, Formação de Professores a Distância e Narrativas Autobiográficas: dos sofrimentos e prazeres da tabuada. Bolema. Rio Claro, 28(49), 820–840. Available from http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-636X2014000200820&lng=en&nrm=iso. Accessed 6 Sept 2018.
  17. Halbwachs, M. (2004). A memória coletiva. São Paulo, Brazil: Editora Centauro.Google Scholar
  18. Knijnik, G. (2004). O que os movimentos sociais têm a dizer à Educação Matemática? Anais do VIII Encontro Nacional de Educação Matemática. Educação Matemática: um compromisso social. Recife (PE), Junho de.Google Scholar
  19. Larossa, J. B. (2016). Tremores: Escritos sobre a experiência. Belo Horizonte, Brazil: Autêntica Editora.Google Scholar
  20. Llewellyn, K. R. (2016). De volta para ao futuro: o poder político da História Oral na educação. In C. S. Rodeghero, L. Grinberg, & M. Frotscher (Eds.), História oral e práticas educacionais. Porto Alegre, Brazil: Editora da UFRGS.Google Scholar
  21. Matos, J. M. (2006). História do ensino de matemática em Portugal: constituição de um campo de investigação. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, 6(18), 11–18.Google Scholar
  22. Matucheski, S. (2016). Diferenciação e padronização: Um estudo sobre o Setor Litoral da Universidade Federal do Paraná. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/146715/matucheski_s_dr_rcla.pdf?Sequence=3
  23. Mcculoch, G. (2012). História da educação e formação de professores. Tradução: Juliana Passos. Revista Brasileira de Educação, 17(49 jan.-abr).Google Scholar
  24. Mendes, I. A. (2012). Tendências da pesquisa em história da matemática no Brasil: A Propósito das Dissertações e Teses (1990 – 2010). Educ. Matem. Pesq., São Paulo, 14(3), 465–480.Google Scholar
  25. Miguel, A., & Miorim, M. A. (2002). História da matemática: Uma prática social de investigação em construção. Educação em Revista, Belo Horizonte, (36), 177–203, dez.Google Scholar
  26. Miguel, A., & Miorim, M. A. (2004). História na educação matemática: Propostas e desafios (p. 198). Belo Horizonte, Brazil: Autêntica.Google Scholar
  27. Nascimento, M. I. M., & Nascimento, M. N. M. (2010). O lugar da história na formação do professor. Revista HISTEDBR. On-line, Campinas,, (38), 186–196.Google Scholar
  28. Nóvoa, A. (1999). Apresentação. In F. Cambi (Ed.), História da Pedagogia. Trad. Álvaro Lorencini. São Paulo, Brazil: UNESP.Google Scholar
  29. Portelli, A. (2009). What makes oral history different? In L. D. Giudice (Ed.), Oral history, oral culture and Italian Americans. New York, NY: Palgrave Macmillan.Google Scholar
  30. Rolkouski, E. (2006). Vidas de professores de matemática – Impossibilidades de leitura. 298 fl. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/102138/rolkouski_e_dr_rcla.pdf?sequence=1
  31. Santhiago, R., & de Magalhães, V. B. (2015). História oral na sala de aula (1st ed.). Belo Horizonte, Brazil: Autêntica Editora. (Coleção Práticas Docentes). 206 p.Google Scholar
  32. Saul, A. M., & Silva, A. F. G. (2009). O legado de Paulo Freire para as políticas de currículo e para a formação de educadores no Brasil. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, 90(224), 223–244, jan./abr.Google Scholar
  33. SÃO PAULO. Conselho Estadual de educação. Deliberação CEE Nº 126/2014. Altera dispositivos da Deliberação 111/2012. São Paulo: CEE, 2014.Google Scholar
  34. Schwarzstein, D. (2001). Uma introducción al uso de la história oral en el aula. Buenos Aires, Argentina: Fundo de Cultura Económica.Google Scholar
  35. Souza, L. A. (2006). História oral e educação matemática: Um estudo, um grupo, uma compreensão a partir de várias versões. 2006. 314 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio ClaroGoogle Scholar
  36. Souza, L. A., & Garnica, A. V. M. (2013). As matemáticas modernas: Um ensaio sobre os modos de produção de significado ao(s) movimentos(s) no ensino primário Brasileiro. Revista Latinoamericana de Investigación en Matemática Educativa, 16(3), 369–393.CrossRefGoogle Scholar
  37. Tizzo, V. S., & da Silva, H. (2016). A História Oral na Formação Inicial de Professores (de Matemática): uma abordagem possível no estudo de política educacional brasileira (Vol. 8, 15, jul./dez). Campo Mourão, Brazil: Revista NUPEM.Google Scholar
  38. Tizzo, V. S., Flugge, F. C. G., & da Silva, H. (2015). Práticas Possíveis com a história oral na formação inicial de professores (de matemática). Bolema, Rio Claro, 29(53), 887–908, dez.CrossRefGoogle Scholar
  39. Valente, W. R. (1999). Uma história da matemática escolar no Brasil, 1730–1930. São Paulo, Brazil: Annablume/FAPESP.Google Scholar
  40. Valente, W. R. (2005). A matemática na escola: um tema para a história da educação. In D. Moreira & J. M. Matos (Eds.), História do ensino da matemática em Portugal, 1(1), 21–32. Lisboa, Portugal: Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação.Google Scholar
  41. Valente, W. R. (2014). História da educação matemática no Brasil, 1(1), 331. São Paulo, Brazil: Editora Livraria da Física.Google Scholar
  42. Vianna, C. R. (2000) Vidas e circunstâncias na educação matemática. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo.Google Scholar

Copyright information

© Springer Nature Switzerland AG 2019

Authors and Affiliations

  • Heloisa da Silva
    • 1
  1. 1.University of São Paulo State, UNESPRio ClaroBrazil

Personalised recommendations